20-100.jpg

Adriana Calcanhotto

Fortaleza

“Dia 02 de Junho, na cidade do Recife, o menino Miguel Otávio, de cinco anos, caiu do 9º andar do prédio onde sua mãe trabalhava como empregada doméstica. Dia 02 de Junho é o dia internacional da prostituta e é um dia em que deveríamos celebrar conquistas trabalhistas das empregadas domésticas no Brasil. A data, porém, foi manchada com o drama de Miguel que foi morto pelo descaso da patroa de sua mãe. "No país negro e racista / No coração da América Latina" são os dois primeiros versos da canção que fiz sobre o ocorrido. Justiça por Miguel!”

Adriana Calcanhotto nasceu em 1965 em Porto Alegre, sul do Brasil. Tem diversos

discos e livros publicados, além de registros audiovisuais de suas turnês de shows pelo mundo. É embaixadora da Universidade de Coimbra, em Portugal, onde lecionou. É ganhadora de dois prêmios Grammy Latino, um por seu trabalho musical para crianças e o outro na categoria “melhor canção em língua portuguesa". Tem composições gravadas por grandes nomes da música brasileira e hits radiofônicos que permanecem nas rádios há mais de trinta anos. Vive no Rio de Janeiro.

Porto Alegre, 1965

No país negro e racista / No coração da América Latina, 2022

Localização: Rua Des. Moreira - Fortaleza