35-100.jpg

Regina Silveira

Goiânia

“A Cama de Gato é uma trama criada manualmente com cordas ou barbantes, um tipo de jogo imemorial e sem origem definida: asiática? indígena? esquimó́? Tem sido usado secularmente como brincadeira, mas também como recurso mágico, tipo de representação e modo de construção. 

Nesta imagem as mãos são as minhas, silhuetadas e executando o jogo que sempre pude interpretar como uma espécie de armadilha mole. 

Como imagem agigantada, na rua, espero que a Cama de Gato possa convocar para jogos simples, abertos e imaginativos.”

Ao longo de mais de seis décadas, Silveira, uma figura crítica na arte conceitual brasileira, investigou a tensão entre movimento e perspectiva espacial, inserindo significado político em instalações que respondem a locais específicos. Reconhecida por suas explorações paródicas do espaço através de construções geométricas, a obra de Silveira é celebrada tanto pelo rigor conceitual quanto pelo impacto formal. Graduada pela UFRG em 1959, nos anos 60, iniciou sua formação artística sob a tutela do pintor expressionista Iberê Camargo, e estuda litografia e xilogravura. Com Doutorado na ECA/USP (1984), onde lecionou a partir de 1974, tem extensa carreira docente. Desde os anos 60 expõe individualmente e participa de Bienais e coletivas, nacionais e internacionais. Foi bolsista das fundações Guggenheim (1991), Pollock- Krasner (1993) e Fulbright (1994). Possui obras em inúmeros museus e coleções do Brasil e exterior. 

Porto Alegre (RS), 1939, vive e trabalha em São Paulo

Cama de Gato, 2022

Localização: Final da Rua 3, acesso a marginal Bota Fogo - Goiânia