Outdoor_Goiania_Aritana-46.jpg

Karim Aïnouz

 

Aritana Yawalapiti, 2020. Projeto especial para M.A.P.A. mostra No Calor da Hora. R. 77 Qdarea 0, 0 - Jardim Goiás (Acesso Oeste Serra Dourada) - Goiânia – GO. Fotografia: Weimer Carvalho.

 

Aritana Yawalapiti foi um líder político e espiritual do seu povo. Grande conhecedor da história do mundo e dos cantos. Aritana Yawalapiti faleceu no dia 5 de agosto de 2020, em um hospital em Goiânia, longe do seu povo, faleceu devido às complicações do COVID-19. O presente trabalho celebra sua existência transportando-o, simbolicamente, para a sua terra e reiterando a importância da luta e existência do Território Indígena do Xingu -TIX.

 

Karim Aïnouz (Fortaleza, 1966) é diretor de cinema, roteirista e artista visual conhecido pela direção dos longa-metragens Madame Satã (2002), O Céu de Suely (2006), O Abismo Prateado (2011) e Praia do Futuro (2014), além de diversos curtas-metragens. Em uma trajetória que se aproxima das artes visuais, Aïnouz realizou a videoinstalação Se Tudo Fosse Sempre Assim a convite da 26ª Bienal de São Paulo, em 2004. Colaborou com Olafur Eliasson na realização do projeto A Sua Cidade Empática (2011), lançado no 17º Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil. Como desdobramento dessa colaboração, realizou o curta-metragem Domingo (2014), reflexo das relações possíveis entre as obras do artista visual dinamarquês e os espaços públicos de São Paulo. Vive e trabalha entre Berlim e Fortaleza.

 

Aritana Yawalapiti was a political and spiritual leader of his people. Great connoisseur of world history and songs. Aritana Yawalapiti died on August 5, 2020, in a hospital in Goiânia, far from his people,  due to the complications of COVID-19. The present work celebrates his existence by transporting it, symbolically, to his land and reiterating the importance of the struggle and existence of the Xingu-TIX Indigenous Territory.

 

Karim Aïnouz (Fortaleza, 1966) is a film director, screenwriter and visual artist known for directing the feature films Madame Satã (2002), O Céu de Suely (2006), O Abismo Prateado (2011) and Praia do Futuro (2014) , in addition to several short films. In a trajectory that approaches visual arts, Aïnouz made the video installation Se Tudo Fosse Semper Assim commissioned by the 26th Bienal de São Paulo, in 2004. He collaborated with Olafur Eliasson in the realization of A Sua Cidade Empática (2011), launched in the 17th Contemporary Art Festival SESC_Videobrasil. As a result of this collaboration, he made the short film Domingo (2014), reflecting the possible relationships between the works of the Danish visual artist and the public spaces of São Paulo. Lives and works between Berlin and Fortaleza.