32-100.jpg

Laura Belém

São Luís

O trabalho "Poema em construção", criado especialmente para a exposição M.A.P.A. "Horizontes Moventes", traz a fotografia de uma cava de mineração descomissionada, de aproximadamente 200m de profundidade, preenchida por água que brotou do lençol freático. A imagem foi captada na Serra do Curral, em Belo Horizonte, e sobre ela lê-se o poema "valas cavas / e muita poeira por aqui / escuta o silêncio ruidoso / da montanha ausente / olha... a vida nunca é vã".


As questões em torno do meio ambiente e a constante ameaça da mineração à ecologia e à sociedade, especialmente pela forma como é conduzida no Brasil, tem me gerado muita preocupação. Para este projeto, pensei em utilizar o outdoor como um veículo para suscitar uma reflexão política e poética sobre o tema. A mídia do outdoor, desvinculada de sua função de publicidade, me pareceu uma potente forma de linguagem para gerar resistência e diálogo no espaço público. O trabalho pretende chamar a atenção para a degradação causada pela atividade mineradora, e para a importância e a não banalização de todos os tipos de vida: dos seres humanos, da fauna e da flora.

Belo Horizonte (MG), 1974, vive e trabalha em Belo Horizonte

Poema em construção, 2022 

Localização: Av. São Luis Rei de França (294) - São Luís