16-100.jpg

Érica Ferrari

 

Brasília

 

São Paulo (SP), 1981, São Paulo

Os gestos memoráveis são das mulheres, 2022

montagem fotográfica e escultura em gesso

Localização: Via de Acesso Samambaia – Av. Leste QD.416 próximo ao corpo de bombeiros, no sentido para Samambaia do Sul - Brasília

 

Qual seria o gesto de uma mulher a ser eternizado em uma construção monumental? Os gestos memoráveis que figuram nos principais monumentos nacionais são desempenhados por bandeirantes e jesuítas; os gestos do desenho arquitetônico que delimitam a construção das cidades modernas são imaginados por sujeitos masculinos. O que podemos constatar é que sem afeto não conseguimos nos relacionar com esses locais e que o seu abandono e do espaço público ao redor tem relação com a nossa própria história e a falta de identificação com a representação dessa história. Repensar esses marcos a partir da recolocação histórica feminina é essencial hoje.

What would be the gesture of a woman to be immortalized in a monumental construction? The memorable gestures depicted in the main national monuments are performed by Brazilian pioneers and Jesuits; the gestures of architectural design that delimit the construction of modern cities are imagined by male subjects. In fact, we can realize that, without affection, we cannot relate to these places, and that the neglection of these monuments and the public space around them are related to our own history and the lack of identification with the representation of this history. Rethinking these landmarks from the point of view of women’s historical repositioning is essential today.

Erica Ferrari é artista visual e pesquisadora. Nos últimos anos produziu objetos e instalações a partir de pesquisa em torno das relações entre espaço urbano, história e arquitetura. Entre as exposições das quais participou estão as individuais 'Estudo para monumento' (2017), na Funarte, em São Paulo, e 'Has always been dystopia' (2019), na XPO Gallery, em Enschede, Holanda; e as coletivas 'InterAKTION – 25 years of the German Reunification / 30 years of the end of the Dictatorship in Brazil’ (2015), no Sacrow Schloss, em Berlin, Alemanha, '32º Bienal de Arte' (2017), no International Centre of Graphic Arts, em Liubliana, Eslovênia, 'Novas Efervescências'(2019), no Espaço Cultural Porto Seguro, em São Paulo, ‘O que não é floresta é prisão política’ (2018/2019), na Galeria Reocupa da Ocupação 9 de Julho – MSTC em São Paulo, ‘Casa Carioca’ (2020/2021), MAR – Museu de Arte do Rio de Janeiro, ‘Estamos Aqui – Ocupação Ateliê 397’ (2022), SESC Pinheiros, São Paulo e ‘37º Panorama da Arte Brasileira' (2022), MAM - Museu de Arte Moderna, São Paulo. Foi artista residente no Sculpture Space em Utica (Nova York), na Rampa (Madrid), no Pivô (São Paulo), no GlogauAIR (Berlim), no AREHolland (Enschede, Holanda), no AIR Niederösterreich (Krems, Áustria) e no Jester/FLACC/CIAP (Genk, Bélgica). Dentre os prêmios, recebeu o Prêmio "LIAEP - Lighton International Artists Exchange Program" (2020), Prêmio ‘Território Livre: marcos de memória na Unb’, Universidade de Brasília" (2020), ‘Prêmio FUNARTE de Arte Contemporânea’ (2015), do Ministério da Cultura e Prêmio do ‘Programa de Ação Cultural – PROAC’ da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Doutoranda pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP) sob orientação da Prof. Dra. Giselle Beiguelman com bolsa CAPES de Pesquisa. 

 

Erica Ferrari is a visual artist and researcher. In the last few years, she has produced objects and installations based on her research about the relationship among urban space, history and architecture. Her work has been in many exhibitions, such as the solo exhibitions 'Estudo para monumento' (2017), at Funarte, in São Paulo, and 'Has always been dystopia' (2019), at the XPO Gallery, in Enschede, Holland; and the collective exhibitions 'InterAKTION – 25 years of the German Reunification / 30 years of the end of the Dictatorship in Brazil' (2015), at Sacrow Schloss, in Berlin, Germany, '32nd Bienal de Arte' (2017), at the International Centre of Graphic Arts, in Ljubljana, Slovenia, 'Novas Efervescências’ (2019), at Espaço Cultural Porto Seguro, in São Paulo, 'O que não é floresta é prisão política' (2018/2019), at Galeria Reocupa - Ocupação 9 de Julho – MSTC in São Paulo, 'Casa Carioca' (2020/2021), MAR – Rio de Janeiro Art Museum, ‘Estamos Aqui – Ocupação Ateliê 397’ (2022), SESC Pinheiros, São Paulo and ‘37º Panorama da Arte Brasileira' (2022), MAM – Museum of Modern Art, São Paulo. She was artist-in-residence at Sculpture Space in Utica (New York), at Rampa (Madrid), at Pivô (São Paulo), at GlogauAIR (Berlin), at AREHolland (Enschede, Netherlands), at AIR Niederösterreich (Krems, Austria) and at Jester/FLACC/CIAP (Genk, Belgium). Among her awards, she received the "LIAEP - Lighton International Artists Exchange Program" Award (2020), the 'Território Livre: marcos de memória na Unb' Award, from the University of Brasília (2020), the ‘Prêmio FUNARTE de Arte Contemporânea’ Award (2015), from the Ministry of Culture and ‘Programa de Ação Cultural – PROAC' award from the São Paulo State Department of Culture. She is a PhD student at the School of Architecture and Urbanism of the University of São Paulo (FAU USP) under the guidance of Prof. Dr. Giselle Beiguelman with a CAPES Research Scholarship.